Procedimentos


Contorno Corporal

Expansão de tecido

O que é:

O procedimento para expansão de tecido permite que o corpo produza pele extra para ser usada na reconstrução de uma região lesionada. É uma técnica simples, que usa um balão expansor de silicone inserido sob a pele bem próximo à área que será reconstruída. O passo seguinte é colocar gradualmente água salina para que a pele estique e cresça. Esse procedimento é mais usado em caso de reconstrução da mama, quando não há pele suficiente para colocar a prótese, e em acidentes, quando se perde tecido. Também é uma opção para reparar áreas do couro cabeludo, quando não há mais crescimento do cabelo. Os resultados são excelentes nessas áreas e também no rosto, nas mãos, braços, pernas e no pescoço. Em caso de acidentes, se a área afetada estiver muito prejudicada, pode ser mais difícil ter sucesso com a técnica.

 

Qual é a indicação?

O procedimento é indicado tanto para homens quanto para mulheres adultas que tenham tecido e músculos saudáveis. O cirurgião especializado é capaz de estudar metas realistas.

Quem pode fazer a cirurgia:

  • Crianças, adultos jovens e idosos;
  • Qualquer pessoa que necessite de pele adicional;
  • Indivíduos sem patologia que traga risco para a cirurgia ou que possa dificultar a cicatrização;
  • Pessoas que não fumam;
  • Pessoas com metas condizentes com sua condição.

 

 

Importância da consulta médica:

A consulta médica é o momento propício para que todas as dúvidas sejam tiradas, todas as questões sejam expostas e metas realistas sejam traçadas. O sucesso também depende muito da sinceridade do paciente com o seu médico. Não omita nada. Aborde:

  • O motivo para querer fazer a cirurgia, o resultado desejado e as expectativas;
  • Condições de saúde, assim como tratamentos realizados no passado e alergias medicamentosas;
  • Medicamentos que faz uso atualmente, homeopatia, uso de cigarro, de álcool e drogas.
  • Cirurgias anteriores.

 

 

O cirurgião pode querer:

 

  • Fazer uma avaliação do seu estado de saúde, dos fatores de risco e das condições que já existem;
  • Tirar fotos suas para adicionar ao prontuário médico;
  • Recomendar um tratamento e colocar em discussão suas opções;
  • Apresentar riscos, complicações que podem ocorrer e prováveis resultados.

 

 

Na cirurgia:

Na preparação, pode ser necessário:

 

  • Realizar exames laboratoriais e passar por uma avaliação médica;
  • Fazer ajustes nos medicamentos atuais e adicionar outros;
  • Suspender o uso de cigarro bem antes da cirurgia;
  • Suspender certos medicamentos que podem aumentar o sangramento, como medicamentos naturais, aspirina e anti-inflamatórios.

 

Instruções especiais

 

  • O médico vai orientar sobre atitudes que devem ser tomadas no dia anterior à cirurgia, como suspensão e uso de certos medicamentos, tempo de jejum e banho.
  • O médico vai explicar como será o uso da anestesia;
  • Também serão explicados os cuidados no pós-operatório.

 

 

Acompanhante

É necessário um acompanhante por, pelo menos, uma noite após o procedimento, para que seja realizado o mínimo de esforço possível.

 

Fases da cirurgia

Fase 1 – Anestesia

A anestesia é administrada para garantir o máximo de conforto durante a cirurgia. Em relação à forma de administração, pode ser anestesia geral ou sedação intravenosa. O médico está capacitado para estudar a melhor opção para cada paciente.

Fase 2 – Incisão

A cirurgia pode demorar de uma a duas horas, de acordo com o tamanho da área de pele que deve ser expandida. Será feita uma pequena incisão ao lado da área a ser reconstruída. Em seguida, será inserido um balão com um tubo pequeno e uma válvula de autovedação para o cirurgião colocar a água salina.

Fase 3 – Como o expansor é enchido

Depois da cicatrização da incisão, o paciente retorna ao consultório de tempo em tempo para o cirurgião injetar a água salina no expansor. A técnica pode causar desconforto. Depois que a pele crescer o suficiente, o paciente precisa passar por mais uma cirurgia para a retirada do balão e reposicionamento do tecido novo. Em caso de reconstrução de mama, a segunda cirurgia geralmente é rápida. Cirurgias que envolvem reconstrução de pele no rosto e couro cabeludo demoram mais, e podem até exigir um novo uso do expansor para gerar mais pele.

 

Resultado

O paciente costuma sentir um leve desconforto na cirurgia para colocação do expansor, assim como no procedimento para retirá-lo. O tempo de recuperação depende da área onde tiver sido realizado o procedimento, assim como da extensão da pele. Pode demorar até cinco dias para o paciente voltar à rotina normal.

Normalmente, os resultados obtidos são melhores do que os das outras técnicas. A melhora na aparência é incontestável. Para a autoestima do paciente, isso é fundamental.

 

Riscos e benefícios

A expansão do tecido é uma opção além do enxerto de pele e uso de retalhos. São inúmeros os benefícios, como:

 

  • Combinação quase perfeita de cor e textura;
  • Risco quase nulo de necrose, já que a pele liga à área doadora de sangue e de nervo;
  • Cicatrizes menos aparentes.

 

A desvantagem é que a pele pode demorar até quatro meses para crescer. Durante o período, o expansor cria uma protuberância que fica evidente e pode ser desagradável para o indivíduo. Outra questão é o risco do expansor se romper no corpo. Caso aconteça, ele pode ser substituído. A solução salina não faz mal para o organismo e pouquíssimos são os relatos de infecção causados pelo problema.

Após discutir as opções e metas realistas, o paciente se responsabiliza por decidir se quer conseguir os benefícios que a cirurgia pode proporcionar. Também terá que decidir se os riscos são aceitáveis. Todas as opções serão explicadas em detalhes pelo cirurgião plástico e, ao final, o paciente deve assinar um termo de consentimento que assegura total compreensão dos riscos e das metas possíveis. Pode acontecer:

  • Descoloração da pele;
  • Acúmulo de líquido na região;
  • Hematomas;
  • Cicatrização com defeitos;
  • Sensibilidade na pele;
  • Riscos com a anestesia;
  • Infecção;
  • Dor;
  • Trombose venosa profunda;
  • Fios de sutura emergindo na pele;
  • Possibilidade de nova cirurgia.

 

Pergunte ao médico

Todas as dúvidas devem ser esclarecidas nas consultas que antecedem a cirurgia. É importante que o paciente não sinta vergonha em perguntar, nem omita qualquer informação do seu cirurgião. O sucesso da cirurgia depende também da confiança que um tem no outro.

Na alta médica

Se alguma complicação aguda for sentida, como falta de ar, dor profunda no peito ou batimentos cardíacos anormais, é preciso procurar o médico com urgência, que pode recomendar internação ou algum procedimento adicional. Com todos os benefícios que as cirurgias oferecem, os riscos existem e devem ser estudados.

Cuidados do paciente

O sucesso da cirurgia depende do conhecimento do médico e dos cuidados que o paciente deve ter antes e depois do procedimento. Ser zeloso, seguir as sugestões do médico e evitar esforços é fundamental no momento de cicatrização.

Após a cirurgia, o médico vai orientar sobre como fazer uso dos medicamentos que vão ajudar na cicatrização e os cuidados que devem ter nos dias seguintes. Tudo para evitar o risco de infecção e para que a cirurgia seja superada o mais breve possível. Após o procedimento, pode ocorrer inchaço, hematomas, desconforto e até irritação local. Por isso, é fundamental seguir as orientações do médico.

Pergunte ao médico sobre a recuperação

  • Quando será permitido voltar para as atividades do cotidiano?
  • Até quando deve ser tomada a medicação?
  • Como será o curativo após a cirurgia e quando ele será removido?
  • Quando deve retornar ao consultório para o médico conferir a recuperação?

 

Custo da cirurgia

Ao decidir fazer uma plástica e escolher um cirurgião plástico, tenha em mente que a experiência dele tem um preço e esse é um investimento que deve valer à pena.

É proibida a divulgação de preço de procedimento médico pelo Código de Ética Médica. Duvide apenas de procedimentos com preço baixo demais. O valor é determinado pelos custos gerais que a cirurgia envolve, como:

  • Gastos com equipe médica;
  • Honorários do cirurgião;
  • Custo de medicamentos usados durante a cirurgia;
  • Exames realizados durante a cirurgia.

 

 

Guia de perguntas ao médico cirurgião:

  • Ele é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica
  • Se fez especialização em cirurgia plástica
  • Se tem licença da Vigilância Sanitária
  • Quantos treinamentos foram necessários passar até tirar a especialização
  • Qual a técnica cirúrgica recomendada
  • Como será feito o procedimento
  • Qual será o resultado
  • Opções caso fique insatisfeito com o procedimento
  • Se acontecerem complicações, como serão tratadas