Procedimentos


Face e Pescoço

Implantes Faciais

O que é:

A falta de harmonia no rosto pode ser corrigida com os implantes faciais, responsáveis por trazer equilíbrio e melhor a proporção de certas regiões da face. Também são responsáveis por dar mais simetria ao rosto, através da melhor proporção. A técnica pode atuar isoladamente ou com o complemento de outros procedimentos, como a cirurgia nas orelhas e no nariz.

Quando a estrutura da face está desproporcional, ou seja, não há simetria entre a pele, os tecidos moles e o rosto, a cirurgia plástica com implantes faciais pode melhorar a aparência. Qualquer área do rosto pode ser aumentada, com destaque para queixo, mandíbulas e maças do rosto.

Os implantes faciais são materiais biocompatíveis com o organismo com a função de aumentar a estrutura física da face. Existem em vários tamanhos e tipos, o que deve ser avaliado pelo médico de acordo com o biótipo de cada um e com o objetivo a ser alcançado.

Implantes de queixo

 

Indicados para quem busca o aumento no tamanho e na projeção do queixo. São recomendados para quem tem o queixo pequeno, quando parece que o queixo e o pescoço são uma mesma estrutura. O implante mostra essa diferença e traz a harmonia para a face.

Implantes de mandíbula

Indicado para aumentar a largura do terço inferior do rosto, em situações onde a mandíbula não está demarcada. O implante delimita a função da mandíbula e harmonia a face.

Implantes de bochecha

Indicado para dar volume à região, com o aumento da projeção das maçãs do rosto.

Qual é a indicação?

No final da adolescência, o indivíduo pode estar apto para se submeter a um implante facial, já que a cabeça e o crânio atingiram a maturidade física. É fundamental que a maturidade dos órgãos tenha sido atingida para a realização de qualquer cirurgia plástica.

 

Quem pode fazer a cirurgia?

  • Pessoas sem nenhuma doença grave;
  • Não fumante;
  • Pessoas com metas realistas e expectativas possíveis de serem alcançadas.

 

 

Importância da consulta médica

A consulta médica é o momento propício para que todas as dúvidas sejam tiradas, todas as questões sejam expostas e metas realistas sejam traçadas. O sucesso também depende muito da sinceridade do paciente com o seu médico. Não omita nada. Aborde:

  • O motivo para querer fazer a cirurgia, o resultado desejado e as expectativas;
  • Condições de saúde, assim como tratamentos realizados no passado e alergias medicamentosas;
  • Medicamentos que faz uso atualmente, homeopatia, uso de cigarro, de álcool e drogas.
  • Cirurgias anteriores.

 

O cirurgião pode querer:

  • Fazer uma avaliação do seu estado de saúde, dos fatores de risco e das condições que já existem;
  • Tirar fotos suas para adicionar ao prontuário médico;
  • Recomendar um tratamento e colocar em discussão suas opções;
  • Apresentar riscos, complicações que podem ocorrer e prováveis resultados.

 

Na cirurgia

Na preparação, pode ser necessário:

 

  • Realizar exames laboratoriais e passar por uma avaliação médica;
  • Fazer ajustes nos medicamentos atuais e adicionar outros;
  • Suspender o uso de cigarro bem antes da cirurgia;
  • Suspender certos medicamentos que podem aumentar o sangramento, como medicamentos naturais, aspirina e anti-inflamatórios.

 

Instruções especiais

  • O médico vai orientar sobre atitudes que devem ser tomadas no dia anterior à cirurgia, como suspensão e uso de certos medicamentos, tempo de jejum e banho.
  • O médico vai explicar como será o uso da anestesia;
  • Também serão explicados os cuidados no pós-operatório.

 

Acompanhante

É necessário um acompanhante por, pelo menos, uma noite após o procedimento, para que seja realizado o mínimo de esforço possível.

 

Fases da cirurgia

Etapa 1 – Anestesia

A anestesia é administrada para garantir o máximo de conforto durante a cirurgia. Em relação à forma de administração, pode ser anestesia geral ou sedação intravenosa. O médico está capacitado para estudar a melhor opção para cada paciente.

Etapa 2 – Incisão

Bochecha: Os implantes nessa região costumam ser colocados através de incisões na bochecha e posicionados aonde serão colocados. Se algum procedimento adicional for realizado, as incisões costumam ser feitas dentro da pálpebra inferior ou no couro cabeludo.

Queixo: Para esse fim, a incisão é feita dentro da boca, embaixo do vinco que une o lábio inferior e as gengivas. Outra opção é fazer uma incisão logo abaixo do queixo.

Mandíbula: Nas mandíbulas, as incisões também são feitas dentro da boca, logo atrás da linha do maxilar, bem no vinco onde a parte da bochecha e da gengiva se encontra.

Etapa 3 – Concluindo a cirurgia

As suturas usadas costumam ser absorvíveis ou com pontos para serem removidos entre uma e duas semanas após o procedimento.

Resultados

O inchaço pode esconder o resultado da cirurgia e pode demorar meses para desaparecer. Depois que sumir, o resultado ficará perfeitamente visível. Na fase inicial de recuperação, o paciente vai visualizar o inchaço e vai sentir dormência, coceira e certo desconforto. Os movimentos da face também podem ficar momentaneamente limitados. Os resultados finais aparecem depois de um longo tempo.

 

Riscos e benefícios

Após discutir as opções e metas realistas, o paciente se responsabiliza por decidir se quer conseguir os benefícios que a cirurgia pode proporcionar. Também terá que decidir se os riscos são aceitáveis.

Todas as opções serão explicadas em detalhes pelo cirurgião plástico e, ao final, o paciente deve assinar um termo de consentimento que assegura total compreensão dos riscos e das metas possíveis. Pode acontecer:

  • Hematoma;
  • Assimetria;
  • Dor;
  • Cicatrização ruim;
  • Necrose da pele;
  • Seroma;
  • Inchaço;
  • Perda de pigmentação no local;
  • Riscos com a anestesia;
  • Perda de sensibilidade no local;
  • Perda de cabelo nos local das incisões, que pode ser corrigido;
  • Danos em estruturas como nervos, vasos sanguíneos, pulmões e músculos;
  • Complicações no coração e no pulmão, além de trombose venosa profunda;
  • Possibilidade de nova cirurgia;
  • Fios de sutura que podem aparecer espontaneamente.

 

Pergunte ao médico

Todas as dúvidas devem se feitas nas consultas que antecedem a cirurgia. É importante que o paciente não sinta vergonha em pergunta, nem omita qualquer informação do seu cirurgião. O sucesso da cirurgia depende também da confiança que um tem no outro.

Na alta médica

Se alguma complicação aguda for sentida, como falta de ar, dor profunda no peito ou batimentos cardíacos anormais, é preciso procurar um médico com urgência, que pode recomendar internação ou algum procedimento adicional. Com todos os benefícios que as cirurgias oferecem, os riscos existem e devem ser estudados.

Cuidados do paciente

O sucesso da cirurgia depende do conhecimento do médico e dos cuidados que o paciente deve ter antes e depois do procedimento. Ser zeloso, seguir as sugestões do médico e evitar esforços é fundamental no momento de cicatrização. Também é fundamental que use óculos escuros e se proteja do sol durante a recuperação.

Após a cirurgia, o médico vai orientar sobre como fazer uso dos medicamentos que vão ajudar na cicatrização e os cuidados que devem ter nos dias seguintes. Tudo para evitar o risco de infecção e para que a cirurgia seja superada o mais breve possível. Após o procedimento, pode ocorrer inchaço, hematomas, desconforto e até irritação local. Por isso, é fundamental seguir as orientações do médico.

 

Pergunte ao médico sobre a recuperação

  • Quando será permitido voltar para as atividades do cotidiano
  • Até quando deve ser tomada a medicação?
  • Como será o curativo após a cirurgia e quando ele será removido?
  • Quando deve retornar ao consultório para o médico conferir a recuperação?

Custo da cirurgia

Ao decidir fazer uma plástica e escolher um cirurgião plástico, tenha em mente que a experiência dele tem um preço e esse é um investimento que deve valer à pena.

É proibida a divulgação de preço de procedimento médico pelo Código de Ética Médica. Duvide apenas de procedimentos com preço baixo demais. O valor é determinado pelos custos gerais que a cirurgia envolve, como:

  • Gastos com equipe médica;
  • Honorários do cirurgião;
  • Custo de medicamentos usados durante a cirurgia;
  • Exames realizados durante a cirurgia.

 

Guia de perguntas ao médico plástico:

 

  • O médico se ele é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica
  • Se fez especialização em cirurgia plástica
  • Se tem licença da Vigilância Sanitária
  • Quantos treinamentos foram necessários passar até tirar a especialização
  • Qual a técnica cirúrgica recomendada
  • Como será feito o procedimento
  • Qual será o resultado
  • Opções caso fique insatisfeito com o procedimento
  • Se acontecerem complicações, como serão tratadas