Procedimentos


Face e Pescoço

Blefaroplastia

O que é?

Blefaroplastia é uma cirurgia que retira excesso de gordura e pele da região dos olhos, especificamente das pálpebras superiores, inferiores ou de ambas. O resultado é uma aparência mais jovem e o fim do aspecto cansado.

O que pode ser feito?

  • Na pálpebra superior, é possível remover o excesso de gordura que resulta em inchaço e numa aparência de cansaço;
  • A flacidez ao redor dos olhos afeta o contorno natural e pode prejudicar a visão. O problema pode ser tratado com cirurgia de pálpebra superior.
  • O procedimento na pálpebra inferior é responsável por retirar o excesso de pele e extrair as rugas finas que ficam nessa região.
  • A técnica também corrige as bolsas de gordura que ficam em cima dos olhos e também podem afetar a visão.
  • Com a gravidade, as pálpebras inferiores podem sofrer uma queda, o que é facilmente corrigido com a blefaroplastia.

 

Qual é a indicação?

O procedimento é indicado tanto para homens quanto para mulheres adultas que tenham tecido e músculos faciais saudáveis. O cirurgião especializado é capaz de estudar metas realistas para melhorar a aparência ao redor dos olhos.

Quem pode fazer a cirurgia:

  • Indivíduos sem patologia que trazer risco para a cirurgia ou dificultar a cicatrização;
  • Pessoas que não fumam;
  • Pessoas sem problemas de visão graves
  • Pessoas com metas condizentes com sua condição.

 

 

Informações importantes para informar ao médico:

 

  • Problemas graves de saúde ocular, como olho seco, descolamento de retina e glaucoma;
  • Problemas na tireóide, como hipotireoidismo, hipertireoidismo e disfunção de Graves;
  • Problemas de Hipertensão, diabetes, distúrbios no coração e problemas de circulação

Importância da consulta médica:

A consulta médica é o momento propício para que todas as dúvidas sejam tiradas, todas as questões sejam expostas e metas realistas sejam traçadas. O sucesso também depende muito da sinceridade do paciente com o seu médico. Não omita nada. Aborde:

  • O motivo para querer fazer a cirurgia, o resultado desejado e as expectativas;
  • Condições de saúde, assim como tratamentos realizados no passado e alergias medicamentosas;
  • Medicamentos que faz uso atualmente, homeopatia, uso de cigarro, de álcool e drogas.
  • Cirurgias anteriores.

 

 

O cirurgião pode querer:

 

  • Fazer uma avaliação do seu estado de saúde, dos fatores de risco e das condições que já existem;
  • Tirar fotos suas para adicionar ao prontuário médico;
  • Recomendar um tratamento e colocar em discussão suas opções;
  • Apresentar riscos, complicações que podem ocorrer e prováveis resultados.
  • Usar peeling químico ou até Laser para remover a cor escura da pálpebra inferior, após a cirurgia.

 

 

 

Na cirurgia:

Na preparação, pode ser necessário:

 

  • Realizar exames laboratoriais e passar por uma avaliação médica;
  • Fazer ajustes nos medicamentos atuais e adicionar outros;
  • Suspender o uso de cigarro bem antes da cirurgia;
  • Suspender certos medicamentos que podem aumentar o sangramento, como medicamentos naturais, aspirina e anti-inflamatórios.

 

Instruções especiais

  • O médico vai orientar sobre atitudes que devem ser tomadas no dia anterior à cirurgia, como suspensão e uso de certos medicamentos, tempo de jejum e banho.
  • O médico vai explicar como será o uso da anestesia;
  • Também serão explicados os cuidados no pós-operatório.

 

Acompanhante

É necessário um acompanhante por, pelo menos, uma noite após o procedimento, para que seja realizado o mínimo de esforço possível.

Fases da cirurgia

Etapa 1 – Anestesia

A anestesia é administrada para garantir o máximo de conforto durante a cirurgia. Em relação à forma de administração, pode ser anestesia geral ou sedação intravenosa. O médico está capacitado para estudar a melhor opção para cada paciente.

Etapa 2 – Incisão

Os pontos de corte dessa cirurgia são estudados para deixar as cicatrizes o mais escondidas possível, já que trata-se de uma região central da aparência. Para corrigir a queda da pálpebra superior, a incisão é realizada na prega dessa pálpebra, que resulta no reposicionamento dos depósitos de gordura, na contração dos músculos e tecidos, e na remoção de pele, quando necessário. Já a correção da pálpebra inferior é feita com o corte abaixo da linha inferior do cílio. Com isso, o excesso de pele nessa região é eliminado. Quando o procedimento visa somente corrigir imperfeições da pálpebra inferior, como redistribuir a gordura ou removê-la, uma incisão escondida dentro da pálpebra inferior, ou incisão transconjuntival, é realizada.

Etapa 3 – Concluindo a cirurgia

Incisões na pálpebra normalmente são fechadas com:

  • Adesivos de pele;
  • Suturas que são removíveis ou absorvidas pelo organismo.

 

 

Passo 4 – Resultados

 

Os resultados costumam aparecer dentro de algumas semanas, mas é possível que leve até um ano para que as linhas da incisão desapareçam por completo. Depois de realizar a cirurgia, é importante ter cuidados eternos para que o processo de envelhecimento não retome a aparência de antes. Para isso, a proteção solar adequada é essencial.

 

Riscos e benefícios

Após discutir as opções e metas realistas, o paciente se responsabiliza por decidir se quer conseguir os benefícios que a cirurgia das pálpebras pode proporcionar. Também terá que decidir se os riscos são aceitáveis. Todas as opções serão explicadas em detalhes pelo cirurgião plástico e, ao final, o paciente deve assinar um termo de consentimento que assegura total compreensão dos riscos e das metas possíveis. Pode acontecer:

  • Descoloração da pele;
  • Acúmulo de líquido na região;
  • Dificuldade de fechar os olhos;
  • Visão embaçada ou prejudica por um tempo;
  • Olhos com secura;
  • Hematomas;
  • Cicatrização com defeitos;
  • Sensibilidade na pele;
  • Riscos com a anestesia;
  • Infecção;
  • Disfunção nas pálpebras;
  • Dor;
  • Trombose venosa profunda;
  • Fios de sutura emergindo na pele;
  • Possibilidade de cirurgia de revisão;
  • Perda da visão.

Pergunte ao médico

Todas as dúvidas devem ser feitas nas consultas que antecedem a cirurgia. É importante que o paciente não sinta vergonha em perguntar, nem omita qualquer informação do seu cirurgião. O sucesso da cirurgia depende também da confiança que um tem no outro.

Colas de fibrina

Outro recurso para a sutura é o uso de cola de fibrina, que nada mais é do que um material produzido a partir de componentes de sangue humano termo-ativados para inativar a transmissão de vírus, responsável por unir as camadas de tecido no momento do término da cirurgia. A técnica reduz as chances de hematomas no pós-cirúrgico e a possibilidade de hemorragia cirúrgica. O produto é certificado.

Na alta médica

Se alguma complicação aguda for sentida, como falta de ar, dor profunda no peito ou batimentos cardíacos anormais, é preciso procurar um médico com urgência, que pode recomendar internação ou algum procedimento adicional. Com todos os benefícios que as cirurgias oferecem, os riscos existem e devem ser estudados.

Cuidados do paciente

O sucesso da cirurgia depende do conhecimento do médico e dos cuidados que o paciente deve ter antes e depois do procedimento. Ser zeloso, seguir as sugestões do médico e evitar esforços é fundamental no momento de cicatrização. Também é fundamental que use óculos escuros e se proteja do sol durante a recuperação.

Após a cirurgia, o médico vai orientar sobre como fazer uso dos medicamentos que vão ajudar na cicatrização e os cuidados que os olhos devem ter nos dias seguintes. Tudo para evitar o risco de infecção e para que a cirurgia seja superada o mais breve possível. Após o procedimento, pode ocorrer inchaço, hematomas, desconforto e até irritação local. Por isso, é fundamental seguir as orientações do médico.

Recuperação pós-operatória

Depois da cirurgia, é recomendado fazer compressas frias no local e usar uma pomada lubrificante. Os olhos também podem ficar cobertos com gaze.

Pergunte ao médico sobre a recuperação

  • Quando será permitido voltar para as atividades do cotidiano
  • Até quando deve ser tomada a medicação?
  • Como será o curativo após a cirurgia e quando ele será removido?
  • Quando deve retornar ao consultório para o médico conferir a recuperação?

Custo da cirurgia

Ao decidir fazer uma plástica e escolher um cirurgião plástico, tenha em mente que a experiência dele tem um preço e esse é um investimento que deve valer a pena.

É proibida a divulgação de preço de procedimento médico pelo Código de Ética Médica. Duvide apenas de procedimentos com preço baixo demais. O valor é determinado pelos custos gerais que a cirurgia envolve, como:

  • Gastos com equipe médica;
  • Honorários do cirurgião;
  • Custo de medicamentos usados durante a cirurgia;
  • Exames realizados durante a cirurgia.

 

Guia de perguntas ao médico cirurgião:

  • O médico é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica
  • Se fez especialização em cirurgia plástica
  • Se tem licença da Vigilância Sanitária
  • Quantos treinamentos foram necessários passar até tirar a especialização
  • Qual a técnica cirúrgica recomendada
  • Como será feito o procedimento
  • Qual será o resultado
  • Opções caso fique insatisfeito com o procedimento
  • Se acontecerem complicações, como serão tratadas